domingo, 15 de junho de 2008



Transforma-se o amador na cousa amada,
por virtude do muito imaginar;
não tenho, logo, mais que desejar,
pois em mim tenho a parte desejada.

Se nela está minha alma transformada,
que mais deseja o corpo de alcançar?
Em si somente pode descansar,
pois consigo tal alma está ligada.

Mas esta linda e pura semidéia,
que, como um acidente em seu sujeito,
assim como a alma minha se conforma,

está no pensamento como idéia:
[e] o vivo e puro amor de que sou feito,
como a matéria simples busca a forma.

Luís Vaz de Camões

Um comentário:

Geruza Zelnys de Almeida disse...

fer,
como faço para encontrar esse video no youtube?
não consegui copiar o link... passa pra mim? lembrei-me daquele momento do filme Lisbela e o prisioneiro quando eles trocam de lugar no espelho e recitam esse trecho de camões, lembra?
bjs
G.